Flagra.

Já de algum tempo tenho recebido alguns comentários em fotos que posto na rede que são classificadas como “flagra”.
Numa breve e rápida pesquisa na internet encontrei a seguinte definição da palavra:

“surpreender alguém em ato (ger. embaraçoso ou indecoroso); apanhar em flagrante.”

Acontece que em certas oportunidades o meio fotográfico usa alguma palavras onde o significado pode não ser o contido em dicionários e verbetes.
Com a palavra flagra acontece bastante de seu uso induzir e tentar significar um “ato-surpresa”, uma “sorte passageira”, uma “inspiração momentânea”.

Ora, para quem estuda um pouco de fotografia, ou para quem se dedica a obter imagens que soem interessantes as palavras sorte e acaso não são levadas em conta … ao menos no meu caso não …
A obtenção de imagens que podem ser citadas como flagrantes na grande totalidade das vezes vem de muito estudo e de um tempo certo de apertar o shutter.

Este tempo não é fruto do acaso, da inspiração, da sorte, etc.

É fruto do estudo sistemático do momento certo de clicar, do estudo de uma técnica muito difundida pelo francês HCB na sua maneira de fotografar que convencionou-se chamar de “momento decisivo”.

Não se deseja aqui influenciar opiniões e nem sobre-valorizar as tomadas.
Deseja-se apenas desmistificar um conceito onde uma palavra pode levar a entendimentos errôneos sobre um momento especial da fotografia.

Um momento que deve ser celebrado como chave na conquista de uma imagem e não sub-valorizado em detrimento do desconhecido, quando é errônea e figurativamente classificado como acaso usando-se a expressão “flagra“.

Este slideshow necessita de JavaScript.

***

Anúncios

8 comentários sobre “Flagra.

  1. Pois é Peri. Acho que apertamos o shutter da mesma maneira que conduzimos boa parte de nossas vidas: via “piloto automático”. Dai, quando encontramos alguém que pense, seja fotograficamente, seja lá de que forma… tentamos dar um jeito de enquadrar essa pessoa no mesmo balaio onde estão quase todos.

    • Sim.
      Mas é interessante notar como existe o desvio de certos conceitos e, quase sempre,o desvio tenta “negativar” (não encontrei palavra melhor), ou nivelar por baixo.

      Um abração.
      Peri.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s