Revelando.

Imagem

No início desta semana dei uma passada no lab, onde fui pegar uma série de fotos que mandei imprimir.
E tenho algumas constatações …
A primeira diz respeito à qualidade que os laboratórios entregam nas fotos impressas.
Ao menos no que eu uso aqui em Campos me surpreendeu muito positivamente a qualidade da impressão e a paleta de cores que eles tem usado.
Cores vibrantes, papel de qualidade boa (dentro do limite aceitável de papéis comerciais e não “fine”), brilho lindo nas imagens.
Isto põe por terra, na minha opinião, o preconceito que se tem quanto a entregar fotos para serem impressas em lab’s comerciais e não em “estúdios” de fotografia que fazem fine art.
A segunda impressão vem em relação ao material que se usa para captação das imagens.
Nunca estive tão satisfeito em ter feito a escolha de usar apenas lentes mecânicas antigas (com mais de 40-50 anos de fabricação) em função da retenção de detalhes como cor, contraste e micro-contrastes, transição de áreas de informação, capacidade de reprodução de mínimos detalhes e etc.

Imagem


Não posso falar sobre o uso de lentes digitais, pois não as uso, mas a qualidade das lentes que faço questão de usar e permanecer é de espantar.
Imagens captadas em boa luz e com apreço no foco e nas composições são de arrepiar, tamanha a qualidade das impressões.
O único ponto negativo se dá na diagramação das imagens na hora da impressão.
Como elas tem a saída na proporção 2:3 e os laboratórios não importam na proporção exata, se deixarmos eles imprimirem como eles costumam imprimir sempre se cortará partes nas bordas.
Como as minhas composições são afiadas tanto nas bordas, e principalmente nelas, quanto no meio, acontece de cortarem informações que eu quero que apareçam nas impressões.
Aconteceu hoje.
A solução é imprimir a imagem com um mínimo de margem (os lab’s e seus técnicos sabem como fazer isto) e preservar a foto com 100% da informação que se pretende.

Imagem

As fotos que ilustram este artigo estão entre as que mandei imprimir.

***

Obrigado por ver.

Captura das imagens: FLEKTOGON auto MC 2.4/35 CARL ZEISS JENA DDR, ASAHI OPT.CO.. JAPAN Super-Multi-Coated TAKUMAR 1:1.4/50.

Anúncios

2 comentários sobre “Revelando.

    • Ficaram sim, Rodrigo.
      Hoje eu entreguei a do Romildo à ele, é a segunda pessoa da seqüência de imagens.
      Gostou muito de receber o retrato.
      A da Igreja vai ficar pra mim mesmo e vou fazer um pequeno quadro pra pendurar quando me mudar.

      Como você disse nem sempre se precisa de muito para boas fotografias.
      E nesta seara se enquadra as impressões, que nem sempre precisam ser ‘fine’ para agradar.

      Um grande abraço.
      Peri.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s